Já pensou em transformar sua paixão por videogames em uma carreira?

O mercado de games independentes não para de crescer no Brasil

Desde o final da década de 70, jovens de todo o mundo começaram a dedicar sua atenção a um novo hobby: os videogames. Desde então, a história dos joguinhos só evoluiu. Cada vez mais jogos, cada vez mais funcionalidades, cada vez histórias mais elaboradas. No ritmo da tecnologia, essa indústria hoje fatura mais do que o cinema.

O sonho de trabalhar com videogames fez nascer um mercado cada vez mais próspero: o de games independentes. Muitos jovens estão se dedicando a aprender um pouco de programação, criação de histórias ou de design para criar seus jogos do zero, sem depender de grandes produtoras. Os resultados estão cada vez mais positivos – e divertidos.

Interessou? Temos cinco dicas para facilitar a vida de quem pretende se tornar um desenvolvedor de games independentes:

1- Planeje: ter uma ideia sensacional sobre um novo jogo é ótimo, mas se você não pensar o que é preciso para executar essa ideia, é provável que ela nunca saia do papel. Por isso, é bom gastar um tempinho construindo um orçamento e planejando como lançar seu jogo. Quem sabe não é possível conseguir um financiamento? Você sabia que o Brasil já tem jogos apoiados pela Lei Rouanet? Pois é, o Toren, uma superprodução brasileira, foi feito assim.

2-   Consiga parceiros: por falar em Lei Rouanet, é importante pensar em quem serão os parceiros que irão te ajudar a viabilizar o game. Construir uma proposta de captação de incentivos não é tarefa fácil e exige muita atenção não apenas aos editais, mas também responsabilidade com o orçamento. Aliás, a mesma dica serve para quem quiser procurar um publisher, que é como a “editora” do game. Ninguém quer deixar os parceiros na mão em relação aos prazos, por exemplo.

3-   Saiba vender: o jogo foi feito e agora só falta lançar. Missão cumprida, certo? Errado! Agora é hora de investir um pouco em marketing e distribuição para mostrar ao mundo o quanto seu jogo é interessante. Existem várias plataformas digitais onde é possível disponibilizar games, mas…o que garante que as pessoas vão querer jogá-los? É preciso convencê-las. Por que o seu jogo é incrível?

4-   Pense além do console: não é raro ver histórias e personagens sendo trabalhados em mais de uma mídia: jogos, apps de celular, desenhos… já imaginou uma história em quadrinhos que explique a origem do personagem que você criou? Por que não? Os fóruns de games, por exemplo, estão cheios de parceiros em potencial que podem embarcar nessa com você. Tudo que você precisa é uma boa história.

5-   Nunca esgote suas ideias: a filosofia do gamer deve sempre ser: e agora? Qual a próxima fase? A indústria da produção de games é movida a talento e boas histórias. Por isso, nunca deixe de sonhar. Afinal se existe um mundo onde tudo é possível, esse é o mundo dos games.

video game dc

Fonte

 

Tags

Comentários