“Twitch Plays Pokemon” – como transformar o caos em trabalho em equipe

Descubra como milhares de pessoas jogando o mesmo jogo conseguiram mais do que insígnias e Pokemons raros

A internet é uma terra misteriosa, que esconde muitas maravilhas.

620de9966dc8b2edce0ea1797d8ae6066f5b62e2d85a95fb2a0c506b6f86da2b_1

Uma delas começou no dia 12 de fevereiro de 2014, em um canal no site de streaming Twitch. Um programador anônimo colocou no ar um emulador do jogo Pokemon Red, controlado por comandos escritos nos comentários do streaming. E qualquer pessoa podia comentar. Ou seja, o jogo chegou a ter mais de 120 mil jogadores simultâneos!

Você pode até achar que, com tanta gente tentando controlar o Red ao mesmo tempo, o jogo não tinha futuro. Contrariando as previsões, 16 dias depois de escolher seu primeiro pokemon, esse grupo gigantesco derrotou a Elite dos Quatro e zerou o jogo. Mas como fazer tanta gente conseguir trabalhar junto e fazer o personagem ir pra onde deveria?

TwitchPlaysPokemon1

O primeiro ponto é que as pessoas envolvidas tinham um objetivo em comum. Se o grupo sabe onde quer chegar, as ações precisam seguir um certo sentido. No entanto, o jogo era aberto e nem todo mundo tinha como objetivo zerar o jogo. Junte isso, o delay dos comandos e o número crescente de jogadores…em alguns dias o jogo se tornou impraticável.

Pokemondq

Como em qualquer projeto em grupo, é preciso organização. Os desenvolvedores implementaram uma nova dinâmica no jogo, uma espécie de sistema de democracia. Em vez de executar todos os comandos digitados pelos usuários, o jogo só realizava o comando mais acionado a cada dez segundos. Dessa forma, aqueles comandos que iam na direção do objetivo da maioria eram executados e os feitos por trolls caíam no limbo.

Esse episódio mostra como um grupo de pessoas focado, com regras e que valorize o trabalho coletivo, nada é impossível. Nem mesmo ganhar da Misty sem um Pikachu. Já pensou em aplicar essas ideias no seu próximo trabalho em grupo?

 

Comentários