Jovem cria uma impressora braille com Lego

Menino de 13 anos utilizou das suas peças de Lego para criar uma impressora braille

Shubham Banerjee, de apenas 13 anos, chocado ao saber que uma impressora braille custa cerca de US$ 2.000, utilizou suas peças de Lego para criar uma opção econômica.

Tudo começou quando a mãe de Shubham vetou sua primeira ideia de projeto para a feira de ciências — um experimento que envolvia luzes coloridas e o crescimento das plantas — dizendo que ele era capaz de fazer algo melhor. Na ocasião, o garoto encontrou um folheto solicitando doações para os cegos e, intrigado com suas dificuldades de aprendizado, procurou entender melhor sobre o assunto.

“Pesquisei no Google: ‘como as pessoas cegas leem’ e descobri as impressoras braille e quanto custam”, disse Shubham, chocado com o alto custo do equipamento no mercado.

Quando ele e um amigo fecharam os olhos para tentar desbravar o mundo como se fossem cegos, começaram a pensar em uma maneira de ajudá-los. “Não conseguimos andar mais do que cinco segundos sem pensar que havia um poste à nossa frente”, disse.

Shubham começou a trabalhar para construir uma impressora braille melhor e mais econômica, usando um material improvável: Lego Mindstorms EV3.

“Achei que eles não deveriam pagar mais de US$ 1.000 para conseguirem se alfabetizar.”

Após sete tentativas frustradas de adaptação das peças do Lego para criar os furos necessários, ele conseguiu um grande avanço: o Braigo.

A primeira versão da impressora foi criada em janeiro de 2014 com um kit Lego Mindstorms EV3, microprocessador, motores elétricos, sensores ao custo de cerca de US$ 350 (cerca de R$ 905).

A startup recebeu financiamento da Intel Capital para patentear e comercializar o produto desenvolvido durante as férias de verão. Shubham esteve presente na oitava edição da Campus Party, em São Paulo, e seu desejo é continuar estudando e se formar em engenharia.

Conheça mais sobre a engenhoca que beneficiou milhares de pessoas:

Comentários