Aprenda com Benjamin Franklin como escrever bem

Um dos maiores pensadores de todos os tempos não nasceu com talento para a escrita, mas uma atitude fez toda a diferença

Mais de 500mil estudantes tiraram nota zero na redação do ENEM 2014, segundo informações do INEP. Isso aconteceu por diversos motivos que são diferentes para cada caso. Entretanto, existe um jeito de evitar uma situação assim: ler muito e treinar a escrita.

Foi assim que o jovem Benjamin Franklin começou a aprimorar suas habilidades de escritor, com uma boa carga de leitura para aumentar o vocabulário e escrevendo muito para praticar. Franklin foi um dos caras que ajudou a escrever a declaração da independência norte americana, imagine só o que aconteceria se ele não tivesse decidido melhorar a escrita.

Além disso, ele era tipógrafo e jornalista desde que tinha 15 anos. Quando adulto, se tornou editor e até dono de jornais. Isso mostra a paixão que tinha pelas palavras desde pequeno. Chegou a abandonar a carreira de escritor, mas para se dedicar à ciência em tempo integral, o que permitiu várias descobertas sobre a eletricidade.

Portanto, Franklin mostrou ter conhecimento em diversas áreas no decorrer da vida. Mas ele tinha um hábito que era seu truque especial, que pode ser bem útil na hora de escrever redações para provas, por exemplo.

(Esse é o Franklin)

Na época em que Franklin era jovem, havia uma revista sobre política e atualidades muito conceituada, chamada The Spectator. Com ótimos textos, a revista era uma boa referência. O que Franklin fazia era ler os textos e anotar as ideias centrais de cada parágrafo. Depois de alguns dias, ele voltava ao que tinha escrito e tentava reescrever o texto com suas próprias palavras, a partir daquelas ideias centrais.

Ele então comparava com o texto original e avaliava o que podia melhorar. Depois de algum tempo, ainda aumentou seu próprio desafio e começou a transformar os artigos em poemas. Entender o que um texto diz para só depois escrever é um bom exercício para fazer antes daquela prova de redação. Basta começar!

Fonte

Comentários